O rio, o aquário e a alma feminina

Sempre há limites. Mas qual limite me leva adiante?

Os rios possuem belezas que encantam. Naturais, mais antigos que nós, imponentes, incontroláveis. Fontes de vida para nós e para o mundo todo, cada rio tem sua singularidade e vital importância para o planeta. Mas o que torna um rio de fato um rio? Água, é claro! Alguns podem assim dizer. Porém, muitos se esquecem da margem. Sem margens a água se esparrama, voltaria para os lençóis freáticos. O poder da margem é algo impressionante! O limite imposto pela margem conduz a água de todos os rios do planeta, que se somam a outros rios a encontrar o mar! Eis a grande beleza do rio, a busca incessante pelo encontro com o mar.

Os aquários buscam a beleza, tem a missão de trazer os encantos da vida subaquática para perto de nós. Vida marinha, vida de água doce, cheios de ornamentos, peixes exóticos, várias ou apenas uma espécie. Aquários pequenos e imensos, de peixe beta a tubarões. Mas não importa o tamanho, aquário será sempre uma prisão. Diferente do rio, as margens do aquário não nos levam adiante, nos prendem. Exuberância, detalhes, luzes, riqueza… nada disso importa num aquário, sempre estará ali, preso.

Eis uma grande sacada na vida: sempre teremos margens. Mas qual margem te leva adiante? A alma feminina é intensa como água, tem anseios incontroláveis, anseios de infinito, de céu. Acontece que tem muita alma feminina se adornando em aquários, pensa estar livre. Tem toda beleza e esplendor de uma vida luxuriosa, cercada de companhias, mas, está presa. Tem mulheres que escolheram a calmaria do aquário pela beleza, mesmo sabendo estar presa.

Outras almas femininas, corajosas, não tem a beleza e a ostentação do aquário. Às vezes a água é barrenta, a margem não é tão bela e a correnteza é feroz. Mas não importa. Elas sabem seu destino: o mar, o céu, o infinito! Existem almas femininas desprezadas por este mundo por não terem se conformado com o aquário, elas se lançaram nestas águas impetuosas porque sabem seu destino.

E você, qual margem lhe cerca hoje? A margem do rio que te leva ao mar, ou o cercado de vidro que ostenta sua prisão?

Pense nisso.

Paulo Franco Machado

Filho de Deus, esposo, catequista, blogueiro, radialista, empresário e graduado em Gestão em TI. Gosto muito de estudar os mais diversos assuntos: teologia, vida dos santos, astronomia, TI, música, comportamento e muitos outros assuntos. Amo leitura, especialmente ficção científica e literatura fantástica. Acredito que com amor e sacrifício podemos construir um mundo melhor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s