Dubai, um destino superlativo

Tudo super, hiper, mega… Dubai é um destino superlativo! É o Emirado mais conhecido de um total de sete, e compõe os Emirados Árabes Unidos. A língua oficial é o árabe, mas o inglês é muito falado pelos moradores. A moeda oficial é o Dirham e a religião predominante é o Islamismo. O clima é bem quente, principalmente de abril a setembro, quando as temperaturas chegam próximas a 50ºC.

Situado na costa do Golfo Pérsico, Dubai é rota estratégica para vários destinos no mundo. Sua história é muito recente. O fim da Guerra do Golfo fez disparar o preço do barril de petróleo e com esse dinheiro conseguiram erguer e custear uma cidade inteira. Em pouco tempo (cerca de 30 anos aproximadamente) transformaram um deserto numa das cidades mais modernas e desenvolvidas do mundo.

A cidade é um pouco controversa e divide opiniões já que é amada por muitos e desprezada por outros. Para o primeiro grupo, Dubai representa o luxo, o glamour e a ostentação, simbolizada em restaurantes caros e lojas de grife. Para outros tantos, Dubai é uma cidade excludente, construída graças ao trabalho árduo de imigrantes, sobretudo indianos e paquistaneses.

Porém, seja qual for seu posicionamento, é impossível ficar indiferente às suas construções grandiosas. É lá que se encontra o maior shopping do mundo (Dubai Mall), o prédio mais alto do mundo (Burj Khalifa), a maior linha de metrô, a torre de hotel mais alta, a maior queima de fogos, e tantos outros “mais mais”.

Foi em Dubai que realizei um dos grandes sonhos da minha vida: saltar de paraquedas! Já tinha ouvido falar que em Dubai existe uma escola de paraquedismo bastante conceituada e, no momento que emiti as passagens, já fui toda serelepe fazer minha inscrição. Não vou negar que cheguei lá com um frio na barriga absurdo. E foi só piorando quando o aviãozinho começou a subir. A hora que a porta abriu e chegou a minha vez, achei que ia ter um treco. Mas como meu anjinho da guarda já provou diversas vezes “ser dos bons”, literalmente me joguei lá de cima.

11193320_10152785647194071_7489814722526178460_n

Foi mais de um minuto em queda livre até que o paraquedas se abrisse, tempo suficiente para apreciar a vista do Golfo e da região de The Palm (ilhas artificiais em formato de Palmeira). Seria muito clichê falar da sensação de liberdade que senti nessa hora? A hora que meus pés tocaram o solo me deu uma vontade incrível de chorar, um misto de excitação, alegria, alívio, dever cumprido…tudo junto e misturado.

Agendei esse salto já no início da viagem. E como aventura pouca é bobagem, na tarde desse mesmo dia fui fazer um rally no deserto. E quer saber? Superou as minhas expectativas. O safári é feito em carros Range Rover 4 x 4, com uma média de 4 a 6 passageiros por veículo. Nesse dia estava comigo um casal de suíços e dois adolescentes endiabrados, amantes de adrenalina. O motorista se inspirou na gritaria, entrou na onda deles e mandou ver! Não tinha duna que fosse páreo para a gente!

11214106_10152785977014071_8773939325011513845_n

Depois de duas horas nas areias do deserto, chegamos em um lugar no meio do nada (ah, não me diga!) e haviam montado uma estrutura completa com direito a jantar, passeio de camelo e apresentação de dança do ventre. Tudo muito lindo, mas o presente mais surreal veio de Deus, um céu coroado de estrelas. Fui dormir cansada, mas muito feliz.

10446681_10152785976814071_8121711361200167806_n

No dia seguinte foi dia de explorar a cidade. Pulei cedo da cama e por volta das 09h00 já estava em frente ao Burj Al Arab, aquele hotel em forma de vela. Único 7 estrelas, está entre os hotéis mais caros e famosos do mundo. Não foi possível entrar no hotel, já que para isso é necessário possuir reserva num de seus bares ou restaurantes. Saindo dali, foi a vez de assistir a um show de fontes luminosas e dançantes que fica bem em frente ao Dubai Mall. Ok, ok, confesso que é bem turístico, mas ainda assim achei muito bem feito. E de graça, né? Então sempre vale a pena!

burj-al-arab-230077_1920

11188339_10152785537349071_7219180740193630090_nComo já estava ao lado, aproveitei e subi o Burj Khalifa. Dica: recomendo comprar com antecedência esse ticket, pois o número de pessoas é limitado. Que tal a vista do 124 andar? Passei a tarde explorando a cidade e apreciando a diversidade de culturas que convivem ali. O que mais me chamou a atenção foi o contraste entre um pais tão moderno versus a quantidade de mulheres completamente cobertas (muitas delas apenas com os olhos de fora). Os homens Emirates também se vestem de maneira bem peculiar, com túnicas brancas chamadas Kandooras. Na cabeça, Gutra (lenço) e para mantê-la presa o Igal (cordinha preta). Visitei ainda o Mercado de Especiarias (Spice Souk), mercado que conta com uma profusão de condimentos e temperos árabes.

Outra atração é o Mercado de Ouro (Gold Souk), um conjunto de joalherias que vendem ouro dos mais diversos preços e formatos. Finalizei o dia em uma estação de esqui, localizada em um outro shopping (também gigante) chamado Mall of the Emirates (Oi? Estação de esqui dentro de shopping? Isso mesmo, caros amigos! E com direito a teleférico, muita neve artificial e três pistas, iniciante, intermediário e avançado. Só em Dubai!).

Dubai e sua vizinha Abu Dhabi estão com planos ousados para um futuro próximo. Prevendo uma escassez das reservas de petróleo, estão apostando suas fichas e dedicando seus esforços num projeto grandioso de transformar ambas em polos culturais e artísticos. O projeto chama-se Saadiyat e inclui um Museu Nacional, uma filial do museu de arte francês Louvre e do museu americano Guggenheim. Outro projeto também em andamento é o Dubailand, que promete ser maior e mais completo que a Disneyworld. A julgar por tudo que Dubai já representa no cenário mundial em tão pouco tempo de vida, o Mickey que se cuide!

Tassi BiografiaTassiana Rossignoli
Mineira, casada, jornalista. Apaixonada pela família, pelos amigos, por viagens, livros, fotografia, músicas, filmes e pipoca. Adoraria fazer um curso de gastronomia. Sonha em ser mãe e ter uma casa na praia. Frase favorita: “Muitos pensam que sou rico. Outros pensam o contrário. O que ninguém sabe é que minha riqueza é medida em histórias, em experiências e pessoas. Sim, Então sou rico.”- Fergal Smith

10 comentários sobre “Dubai, um destino superlativo

    1. Oi Ivna,

      Tudo bem? Ahh que bom te ver por aqui..
      Obrigada pelo comentário! E obrigada também por esse texto lindo e inspirador 🙂
      Quero muitooo ser mãe de pelo menos 3 filhos, e toda vez que alguém vier dizer qualquer coisa, entrego um texto seu impresso, que tal?
      Um beijo pra você,
      Tassi

      Curtir

  1. Viagem irada!!!! Top!!!
    Quero muito ir pra Dubai. E ter a coragem de pular de paraquedas!!
    Tassiana, é bom fazer Dubai com qual outro lugar?
    Muito massa esse site!!!
    Carlos

    Curtir

    1. Oi Carlos, tudo bem?
      Seja bem vindo..
      Dubai combina bem com vários destinos (são mais de 150 destinos internacionais :), já que a Emirates e a Etihad voam para o mundo inteiro..
      Mas as combinações mais comuns seriam Tailândia, Maldivas, Seychelles, Índia, China, Japão…
      Abraços,
      Tassiana

      Curtir

  2. Tassi, valeu a pena esperar! Obrigada, obrigada, obrigada!
    Será que vou conseguir visitar tudo que você visitou?
    Que coragem com esse paraquedas, hein?
    Ai to ansiosa pra chegar minha viagem logo!
    Ja sabe qual vai ser a letra E?
    Bjos,
    Pam

    Curtir

    1. Oi Pam,

      Quantos dias você vai ficar em Dubai?
      Eu não fiquei muito tempo não..foram 2 noites em Dubai e uma em Abu Dhabi..então não se preocupe que vai dar tempo de sobra..rs…e as atrações não são muito espalhadas, então já otimiza bastante o nosso tempo, né?
      Faço votos que sua viagem seja incrível! Aproveite muito e nos conte tudo depois, tá?
      Beijos,
      Tassi

      Curtir

    1. Oi Victor,

      Concordo com você..Dubai é um paradoxo..tão moderna por um lado e tão atrasada por outro..
      Não pode afeto em público, homossexualismo é crime, mulheres submissas aos seus maridos e muito cobertas (muitas somente com os olhos de fora)..
      Eu gostei da viagem e achei que valeu a visita, mas não sei se voltaria..Definitivamente não é meu tipo favorito de cidade, além disso, o mundo é tão grande, né :)?

      Curtir

  3. Eu tenho pra mim que se continuar lendo esses textos vou ter que ganhar na mega pra conhecer todos esses lugares!
    Nunca na vida tinha parado pra pensar em Dubai gente, e agora até já me visualizei pulando de paraquedas!
    Obrigada por compartilhar com a gente a sua experiência riquíssima, talvez você nem tivesse noção de que, quando Deus te proporcionou a oportunidade dessa vida viajante, poderia despertar também em outras pessoas esse desejo.
    Viajar muda a gente ne!?
    Obrigada por esse texto tão divertido, como sempre!

    Curtir

    1. Oi Mari,

      kkkkk…precisa de mega sena não…basta botar uma mochila nas costas e planejar direitinho que dá..
      Eu economizo TODO meu dinheiro pras viagens 🙂 O marido nem aguenta mais ouvir falar disso..hahaha
      Viajar muda a gente sim…e o mais fascinante é descobrir as diferenças em cada lugar, ver como as pessoas agem e pensam nas várias situações..nos faz mais tolerantes ao outro, e é disso que o mundo precisa, né? Mais tolerância, mais respeito…
      Viajar pra mim é terapia pura :)!
      Obrigada por acompanhar os textos, já estou pensando na letra E..
      Pensei em Equador, Egito, Espanha, Eslovênia..ai quanto lugar lindo nesse mundo, Meu Deus..
      Beijos,

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s