Sim pelo respeito à escolha alheia

Sim, nessa semana fomos bombardeadas por uma pressão sobre ser “bela, recatada e do lar”.  Ah! Se não viu, voltemos à segunda-feira dessa semana. Uma revista publicou a reportagem com o título: “Bela, recatada e do lar”, conduzindo-nos à reportagem sobre Marcela Temer, esposa do vice-presidente Michel Temer.

Depois disso, bum! A repercussão imediata sobre a matéria levou muitas mulheres a diversos comentários, dizendo que se tratava de um estereótipo ou padrão aos quais estaríamos sendo submetidas a ser: submissas aos homens, belas e, ainda, cuidadoras do lar, entre tantos outros comentários.

Vamos lá! Marcela é casada há 13 anos, formou-se em Direito (porém não exerce a profissão), tem um filho e se dedica ao lar. A grande pergunta: qual o problema em ter escolhido uma vida como essa?

Não estou aqui para fazer defesa à revista em questão (visto que questiono grande parte de suas publicações), ela conseguiu o que queria, ou seja, obter os clicks e gerar uma polêmica avassaladora nas redes sociais. Quero mesmo é trazer a reflexão sobre as escolhas, nossas escolhas como mulheres.

Você já pensou de verdade sobre suas escolhas?

Temo que, às vezes, sigamos uma “onda” e sejamos apenas “levadas” por ela, mas, de fato, estamos nos realizando no que sonhamos e esperamos para nossa vida?

De um lado, dizem que temos que ser livres, fazermos o que instintivamente queremos, sem pensar nas consequências do dia seguinte. Do outro, que temos que estar sob a tutela do que escolheram por nós.

Mas qual é sua escolha como mulher? Quais são seus sonhos? Suas expectativas? Aquilo que há de mais profundo que somente você conhece e busca Ser?

O modelo de vida que Marcela Temer escolheu seria certo ou errado? Talvez, para mim e para você, não fosse o ideal, mas e para outras mulheres?

Por que ser independente é errado? Por que ser mãe é errado? Por que ser linda é errado? Por que gostar de ser “do lar” é errado? Por que se dedicar à carreira é errado?

Certo ou errado, sempre dependerá de sua visão e suas escolhas. E, às vezes, essas escolhas são exigentes, mas valem a pena!

E, por fim, se você, como eu, luta por liberdade em suas escolhas, nos empenhemos em respeitar as escolhas dos outros, sem julgamento, sem preconceito, sem moralismo; assumindo, assim, que somos mulheres de uma nova geração.

Por uma nova campanha: “Sim pelo respeito à escolha alheia”.

16 comentários sobre “Sim pelo respeito à escolha alheia

  1. Mônica, penso como você.. A mulher tem que ter direto a escolher, e isso implica no direito a escolher ser do lar e não exercer uma profissão fora do lar.
    E depende de nós voltarmos a valorizar o trabalho desempenhado por aquelas que se dedicam a seu lar. .
    Não que seja um modelo a ser seguido por todas, pois cada mulher tem sua individualidade, seus sonhos.
    Ter uma carreira brilhante e de sucesso é o sonho de muitas mulheres, mas ter o direito de ser uma mãe dedicada e um pessoa do lar (e como se trabalha em casa) é o sonho de outras.
    Respeito a diferença…

    Curtido por 2 pessoas

  2. Inclusive por não ser do lar! Que é o meu caso….tenho dois filhos e uma carreira que amo muito…o que é errado é usar a mídia para estereotipar ainda mais a mulher. Sou ultra feminista e fiquei chocada com a ignorância da Veja….os protestos se referem à isso e não às escolhas das mulheres.

    Curtir

    1. Boa noite Mellyssa!
      Sim, vejo que não só a Veja, mais muitos meios de comunicação querem impor formatos pré estalecidos. O que defendemos aqui é a liberdade seja qual for a escolha pessoal de cada mulher.
      Parabéns por suas escolhas!

      Curtir

  3. Adorei o texto !!!! Eh tenho buscado essa avaliação junto meu desenvolvimento pessoal, antes de qualquer julgamento ou comentários, analisar todo histórico, fazer um mapeamento da situação e sim determinar minha visão hoje e amanhã, sobre as pessoas e a vida. ” Visto que, o padrão de vida que busco e vivo, pode ser diferente da outra realidade, o que é certo pra mim, é errado pra outros…” Mas, acredito de coração, e vejo que meus sonhos e mudanças, são vivenciadas pelas fases que a vida me oferece, então tudo munda e principalmente minhas buscas e meus sonhos …. Sabedoria e Maturidade nas minhas buscas e desenvolvimento pessoal e com as pessoas …

    Curtir

    1. Flávia querida!
      Exato, em muitos momento isso faz parte de um processo de vida…e sei que tem dado um duro danado em suas escolhas.
      Você como mulher, mãe, profissional, namorada tem sido um exemplo para muitas mulheres. parabéns por suas escolhas.

      Curtir

      1. Mônica, Linda !!!!

        Gratidão por fazer parte desta história e desse duro danado que se chama vida, e nela estamos unidas !!!! Abraços

        Curtir

  4. Moniquinha arrasou!
    Todos os dias somos bombadeardas com exigências sociais.
    Ser independente, lindas,magras,inteligentes, divertidas, sexuais, encantadoras, ótimas dona de casa, mães, esposas,
    Profissionais e tudo mais. No entanto, o questionamento sobre o que de fato é importante pra mim e talvez ñ seja para outros, mas devemos respeitar,fica fora da reflexão.
    Parabéns!

    Curtir

  5. Lindo texto! Realmente a sociedade critica tantos tabus e não se percebe presa também a um deles como o da mulher moderna que tem que ser independente. Nada contra. Sou mãe, esposa, profissional e só Deus sabe como tento me desdobrar para atender a todas as exigências que cada uma dessas escolhas me fazem. Inúmeras vezes quase desisti de minha carreira e de muitos sonhos em prol da minha família, com muito jogo de cintura e com a providência de Deus pude continuar. Mas se tivesse que abrir mão para ser totalmente “do lar”, por algum tempo o faria sabendo que seria por um bem maior e que no momento oportuno poderia voltar a assumir novos papéis. Ser do lar, é tão digno quanto passar o dia inteiro fora, fazer cursos, ser popular e etc…. Não devemos julgar as escolhas das pessoas, a mulher tem a liberdade de ser o que quiser, contanto que seja inteira no que está fazendo e sempre buscando a verdade de seu coração.

    Curtir

    1. Oi Fabiana.
      Obrigada por seu comentário real e profundo. Precisamos a cada dia estar atentas se estamos escolhendo por imposição ou porque acreditamos no caminho a trilhar.
      Aguardamos mais seus comentários por aqui.
      Abraços

      Curtir

  6. Arrasou mônica!!!
    Na vdd vimos tanta propaganda contra a manchete:”bela,recatada e do lar” que sem perceber caímos também no mesmo erro,o de não respeitar os que pensam e agem diferente de nós!

    Curtir

  7. O problema não é a escolha dela ,o problema é a maneira preconceituosa machista sexista que a revista aborda o assunto ….o que não me supreende por ser rotineira assuntos que não nos acrescentam serem veiculados sempre de forma tão tendenciosa.

    Curtir

    1. Oi Luciane! Exatamente por esse motivo, trouxemos uma reflexão mais ampla, no sentido de olhar nas diferentes esferas as escolhas de mulheres reais, do nosso dia a dia.
      Que possamos de fato respeitar qualquer que sejam as escolhas alheias.
      Obrigada pelo seu comentário.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s