Sobre o ser mulher

Confesso que acho um pouco difícil descrever sobre a essência feminina, o que é ser mulher para mim. Talvez porque o ser humano seja tão complexo que palavras nem sempre são capazes de nos descrever, nenhuma pessoa pode ser descrita por apenas um adjetivo, até porque estamos sempre em mudanças, o que penso hoje pode ser diferente de amanhã. E quando se fala da mulher, tudo fica potencializado. Ou, talvez, perceba isso porque ando cheia de questionamentos.

Questionamentos esses que fazem parte da vida, de como éramos, como estamos e se é assim que gostaríamos de estar e, às vezes, vêm com a intensidade de um terremoto. Mais do que se questionar por cobranças sociais, é se perguntar se estou feliz e satisfeita, e se não, por que não? E o verbo é estar, porque ser, podemos ser muitas coisas, mas estar é “agora”.

Apesar da hipocrisia em muitos setores, não podemos ser hipócritas conosco, fazer de conta que estamos felizes porque socialmente parece tudo bem. E a pergunta é: o que você carrega dentro si? Tem momentos que ninguém pode te ajudar, e até o diálogo com Deus fica mais complexo.

É nessas horas que não há problema em ser, no bom sentido, egoísta, em pensar um pouco mais em você, nas suas questões, nos seus sonhos. Claro, somos formadas dentro de um sistema complexo, carregamos dentro de nós a educação familiar, religiosa, valores morais e sociais, a ética, a civilidade, e aqui não estou dizendo para sair quebrando tudo, fazendo o que der vontade, mas remontar as prioridades com base no que você acredita e sonha, no que é bom para você, mas não agride ao próximo.

Eu não costumo entrar em polêmicas, principalmente, aquelas de redes sociais, mas já reparou que há muitas filosofias que pregam a liberdade feminina e, ao mesmo tempo, também oprimem? Porque parece que se a mulher não agir da maneira que tal filosofia prega, ela é uma alienada e está indo contra a maré. É assim que me sinto.

A maturidade faz com que estes questionamentos sejam mais para o bem do que para o mal, faz pensar com clareza e buscar a harmonia, pensar que se agora não está bom, pelo menos, algo faço para que melhore daqui a cinco minutos, só não podemos estacionar e nos entregarmos à tristeza. Fé e perseverança sempre! Se tenho dificuldades em descrever o “ser mulher”, deixo aqui uma bela descrição sobre nossa essência feminina:

“É a mulher que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz do mundo uma coisa bela. Sem a mulher não há harmonia no mundo.” Papa Francisco

Luciana Martins
Católica por amor à fé cristã e jornalista por formação.
Paulista, apaixonada por viagens e esportes.
Aberta às surpresas de Deus.

Muitas Marias apresenta artigos originais sobre o cotidiano feminino. Saiba como enviar seu texto clicando aqui ou escreva para  contato@muitasmarias

2 comentários sobre “Sobre o ser mulher

  1. Por ter crescido em uma família com muitas mulheres (4 ao todo) e por ser exposto as questoes femininas desde muito novo aprendi a amar as mulheres da minha familia. E hoje, estou muitissimo feliz, de ter uma mulher maravilhosa ao meu lado. ❤

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s