Força, Foco e Fé

Receber o diagnóstico do câncer não é algo fácil, aliás, é uma sensação que somente quem passou sabe exatamente o que é, as demais pessoas só podem imaginar como seria se fosse com elas…

A história de um assalto cai bem para a comparação, você nunca saberá como realmente vai reagir, sabe todas as instruções para o caso de algum dia ser vítima de roubo, porém, somente se passar por esta experiência é que saberá se conseguiu manter-se calmo, se entrou em pânico, se fez exatamente o que o assaltante exigiu, se tentou sair em fuga, se optou por lutar e reagir bravamente em busca de sua sobrevivência, mas se colocando em alto risco.

No assalto, você é a vítima de alguém que quer tirar algo de você (carro, celular, dinheiro), algo que conquistou com seu trabalho e sua dedicação e, de repente, terá que abrir mão para poder sobreviver.

No câncer, a situação é similar, porém, somos vítimas ainda maiores, reféns por longo período.

A luta é longa, cruel e cansativa e você só terá certeza de que o invasor foi embora, de que realmente está “livre”, cinco anos após o combate. Você perde partes do seu corpo para o bandido e, como em certos assaltos, há aqueles que perdem até mesmo a vida.

Mas a sensação de alívio, de liberdade e de vitória não tem preço e, para se chegar ao final, é necessário passar por todas as etapas.

Sendo assim, considerando que não tem escapatória, que estamos na chuva para nos molhar, vamos vestir nossa alma com esperança, colocar nosso melhor sorriso no rosto, deixar o brilho do nosso olhar bem evidente e manter o coração cheio de fé.

Vamos varrer os pensamentos sombrios e deixar o sol dominar nossa mente, clareando nossas ideias, para que possamos focar somente em coisas boas e alegres.

Estou nesta luta já faz quase um ano, tive dias sombrios, dias de choro, dias de querer ficar só… Porém, quando consegui falar sobre o câncer, escutar o que as pessoas próximas tinham para me dizer, deixando-me invadir pelo amor de Deus e segurando forte cada mão a mim estendida, eu consegui vencer o pior sentimento que o câncer me impôs, o medo da morte. Um medo enorme de partir, deixando tudo que mais amo, meus filhos e marido, meus pais, irmãs e uma vida que deveria estar começando aos 40 anos, e não terminando.

Quando venci o medo, pude sentir alegria, uma real felicidade, pois a partir de então, o câncer poderia até estar comigo, mas eu não mais estava com ele.

Cada pessoa tem seu tempo para descobrir que todo momento é valioso, toda fração de segunda é vida fluindo e que cada segundo conta, pois não volta mais.

Então, posso assegurar, mesmo em dias de tempestade, é melhor saber e confiar que o sol permanece atrás das negras nuvens e que, para se ter o arco-íris, é necessário passar pela chuva e deixar se molhar com alegria, sim, é bem melhor do que se trancar no quarto sozinho, no escuro, com medo de cada raio ou trovão…

Sei que a palavra câncer assusta, mas saiba que não é sentença de morte, pelo contrário, você pode transformar este momento de crise em algo que signifique superação, pode enxergar, assim como eu enxerguei, como uma sentença de vida, de liberdade, de permitir-se ser quem realmente desejar, basta retirar as vendas do medo dos seus olhos, e ver o que é essencial para você e o que realmente importa.

Se você foi diagnosticado com câncer, permita-se chorar, sofrer, ter medo, mas saiba que estes sentimentos passam e depois de um tempo, permita-se ser alguém melhor, mais forte, mais feliz, mais iluminado. Não viva em um eterno luto de si mesmo.

Mantenha sua autoestima, seu amor próprio, sua luz acessa, seu coração em paz e, nos momentos em que sentir que você não pode, acredite que tem alguém que pode por você, tenha sempre fé e seja grato por cada dia, cada vitória, cada momento.

Passar pelo câncer exige garra, exige coragem, força, foco e fé.

Não há receita mágica, como se fosse um bolo, pois somos seres diferentes, cada qual com sua bagagem e você tem que descobrir por si mesmo o que fazer para se sentir melhor.

Vivi quinze dias de muita dor na alma, foi o tempo que necessitei para diluir tudo que estava me corroendo, meus medos e angústias. Parece breve, mas com a intensidade que se sente, posso dizer que pareciam não ter fim e que seria sempre assim…

Acredito que há pessoas que conseguiram acertar a mente e coração com tempos diferentes, e há aquelas que infelizmente não conseguem e vivem em eterno sofrimento na alma, principalmente porque não conseguem permitir-se ser feliz também nos momentos de dor.

Certas coisas ajudaram a acalmar meu coração após ter recebido o diagnóstico de câncer de mama, em 17 de agosto de 2016, e sentir que o chão se abria aos meus pés.

Vou deixar minha lista aqui, talvez possa ser útil para alguém.

E você, já vivenciou está experiência? O que te fez reencontra seu chão?

10 coisas que me ajudaram a superar o diagnóstico do câncer

  1. O choro é necessário para lavar a alma, então, permita-se chorar;
  2. Enxergar a beleza da vida, admirando o pôr do sol e a lua cheia;
  3. Fazer uma playlist com suas músicas prediletas e escutar principalmente quando sentir-se triste;
  4. Fazer um diário, para expor tudo aquilo que te transborda a alma;
  5. Criar um grupo de apoio, com as pessoas que lhe são caras, que se preocupam com você, para que possam lhe auxiliar na caminhada em rumo à cura, para que você possa desabafar, para que também possa compartilhar com seus amigos algo que não tem preço, seu tempo, seu amor, sua vida;
  6. Ler o livro Anticâncer, de Davi Servan Schreiber;
  7. Repetir várias vezes: “Senhor, eu creio, mas aumentai a minha fé”, até que sua fé esteja reavivada e que possa senti-la em cada parte do seu ser;
  8. Olhar-se no espelho e saber que você ainda está lá, mesmo que a imagem esteja distorcida… Lembre-se das borboletas, você passará pela metamorfose e enquanto não passar, sorria, se arrume, abuse dos lenços, perucas, make-up, busque se enxergar além da imagem momentaneamente perdida;
  9. Perdeu seus seios ou outra parte do corpo? Foque no que ficou, sua vida é preciosa e você é bem mais completa do que antes, acredite nisto;
  10. Seja grata e generosa, se foi difícil para você viver o diagnóstico do câncer, imagine para os menos favorecidos? Faça algo de bom com sua experiência, não deixe para depois o que você pode fazer agora, retribua o amor de Deus, dos amigos, amando seu próximo.

 

 

Nádia Bueno Gomes

Graduada em Direito,mãe de quatro filhos, casada, comprometida com a vida, gosta de viajar, vinhos, abraços, fotografias, valoriza as coisas simples da vida, Idealizadora do Projeto a Vida é Bela,que busca levar autoestima para pacientes oncológicas

Muitas Marias apresenta artigos originais sobre o cotidiano feminino. Saiba como enviar seu texto clicando aqui ou escreva para  contato@muitasmarias.com .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s