Sem joguinhos de amor, por favor!

Eu sempre gostei de jogos e de relacionamentos! Mas nunca dos dois juntos! É tão gostoso chegar um final de semana e jogar um jogo de tabuleiro, um video game ou outro tipo de jogo pra
esfriar a cabeça depois de uma semana de muito tabalho, não é mesmo? Ainda melhor quando temos nossos amigos ao nosso lado e aproveitar para jogar conversa fora.

Do lado do relacionamento não é diferente. É maravilhoso, depois de sair de um primeiro encontro com uma pessoa interessante, sentir o friozinho na barriga e ir para o segundo encontro, terceiro, ir percebendo que você tem muito (muito mesmo!) a ver com a outra pessoa. Conversar bastante ao
telefone e ir entendendo os pontos de vista sobre arte, música, política, economia, times de futebol (porque não?), religião (se der, ainda melhor!) e tudo o mais!

Melhor ainda é quando a gente consegue estabelecer um relacionamento de longo prazo (namoro). Deixa
aquela quenturinha boa no coração! Como é prazeroso ter uma pessoa querida pra gente cuidar e
ser cuidado! Quem não gosta?

Agora, o que me deixa intrigado, perplexo mesmo, são os jogos dentro dos relacionamentos amorosos. Já faz um tempo que percebi esses joguinhos e suas bizarras regras tácitas (que ninguém fala, mas que todo mundo segue). Mama mia! Quanta coisa sem sentido! Quanta loucura!

Você saiu com o/a paquera e foi um ótimo encontro. De repente, você se lembra de algo que viu na rua e
quer compartilhar com a pessoa. Não pode! “Se eu ligar hoje estarei sendo muito grudento. Melhor esperar uns 2 dias”. Mensagem no celular? Seguuuuura coração! Pode ler sim, mas não pode
mostrar que leu. Responder? Só em 2h. Quanto mais indiferente melhor.

Gente! Pra que isso? Que perda de tempo sem fim! Gostou de alguém? Sai de novo! Tá com saudades? Telefona! Leu uma mensagem? Responda! Recebeu um email bacana com um comentário
interessante? Responde com um outro ainda melhor!

Não entendo de onde vem todas estas regras. Pra que elas servem? Você está num relacionamento ou numa gincana de sedução de programa de auditório de domingo à noite de algum canal da TV aberta?
Menos é mais! O simples é valioso. E funciona! Qual a graça de ficar jogando? Cadê as pessoas diretas, objetivas e que se dão conta de que (eu sei que não é sempre que dá pra fazer isso… mas na maior parte do tempo dá, né?).

Tá com fome? Come. Tá com sono? Dorme. Tá com saudades? Liga!
Como o mundo seria mais curado, simples e amoroso se estas regrinhas fossem respeitadas.
Por um mundo com menos joguinho e com mais sinceridade, olho no olho e comprometimento.

 

Victor Westmann

Paulistano da gema vivendo em Vancouver, trabalha com TI desde sempre, amante da natureza, descobriu o amor sincero e sem joguinhos em uma das Marias.

 

 


Muitas Marias apresenta artigos originais sobre o cotidiano feminino. Saiba como enviar seu texto clicando aqui ou escreva para  contato@muitasmarias.com

6 comentários sobre “Sem joguinhos de amor, por favor!

  1. Infelizmente, esses jogos são muito comuns, mas duvido que as pessoas curtam isso. Fazem porque aprenderam e reproduzem essas atitudes com os outros, que aprendem com elas, que reproduzem com outros e que aprendem com esses e assim vai num círculo vicioso. Basta a cada um de nós rompermos com esses padrões. O resultado? Muito provavelmente vai encontrar outra pessoa que olhará aliviado para o outro e dirá: finalmente posso ser eu mesmo com alguem. Dica para quem está solteiro? Primeiro: não espere que a pessoa certa caia do céu (às vezes deixamos tudo pra Deus porque somos preguiçosos). Segundo: seja você mesmo (sem artificialidades ou ações milimetricamente fórmula das). Quem valer a pena fica, pode ter certeza.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Vejo esses joguinhos não só no início do relacionamento, mas também ao longo dele. É uma disputa de quem gosta quem, que cede mais, quem tem menos ciúmes. Falta companheirismo de verdade!
    Por relacionamentos mais saudáveis!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Nossa! Fantástico este texto! Só uma pessoa que se reconhece infinitamente amada por Deus pode viver essa liberdade de se entregar sem reservas, sem protocolos, sem joguinhos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s