Educar um filho: a tarefa mais difícil

Cada família é como um sistema solar em cada Via Láctea. E cada filho é um planeta no sistema solar. O que quero dizer é que cada família é única… E cada filho é único. Com suas culturas e peculiaridades. Defendo que a base para uma nação bem estruturada é uma família formada com valores.

Educar nunca foi fácil. Aliás, sabiamente, minha sogra sempre me dizia que a tarefa mais difícil na vida é educar um filho. Concordo. Você é responsável por entregar valores, regras, ensinar a convivência em comunidade, formar um ser humano capaz de viver em sociedade, um ser humano que entregue seus bons valores a outro ser humano…

Eu estou apenas iniciando minha jornada. E não estou só. Eu, meu marido, avós, tios. A família educa num toque só, mas os maestros principais são o casal. Dizia Santo Paulo VI a um grupo de casais em Roma: “A dualidade de sexos foi querida por Deus, para que o homem e a mulher, juntos, fossem a imagem de Deus, e como Ele, nascente da vida”.

Crianças não nascem sabendo seus limites. Elas precisam ser ensinadas sempre. Desde bebês. O não é o primeiro limite que aprendem (imagine agora aqueles bebês colocando dedos nas tomadas, puxando vidros decorativos, etc). À medida que vão crescendo, os “nãos” vêm com explicações. Assim como os permissivos “sins” também apresentam limites (até apenas uma troca de olhares entre filhos e pais podem ser singelos diálogos de permissões ou não).

Educar é uma arte. É necessário amor, disposição. Educar não tem tempo para preguiça, ou para “deixa para depois”. Educar é imediato, é 24 horas. E educar na FÉ é o constante vigiar dos atos. Sabe aquele ditado clássico “Exemplo arrasta multidão”? Os filhos nos observam todo o tempo. Somos testemunhos constantes e primários para nossos filhos, somos aqueles que portam o anúncio do Verdadeiro Deus, Jesus Cristo.

Aprendo diariamente com a Sagrada Família sobre limites, incentivos. Eu me alimento diariamente dos exemplos de meus pais e dos meus sogros. Meus filhos, que são três, aprendem diariamente com suas frustrações, mas aprendem mais em vencer a decepção e conquistarem a vitória. Aprendem diariamente com diversos nãos, que ensinam a eles se conhecerem melhor. Os “sins” os impulsionam a irem muito além do que podem imaginar!

Ensino-os o amor pela casa, pelo lar. Sobre o cuidado, a limpeza, a harmonia. O singelo preparo do café da manhã e colocar a mesa. A árdua organização de seus brinquedos e materiais. Tratar pai e mãe como senhor e senhora. Do dizer “eu te amo” a todo instante. Sobre o estudo e a disciplina. Sobre o fazer xixi no lugar certo, até tomar banho sozinho. Sobre independência com responsabilidade. E confiar.

À medida que os educo, eu e meu esposo nos educamos e reeducamos. Principalmente na fé. À medida que lhe ensinamos os valores da Santa Igreja Católica, nos convertemos mais e mais, diariamente. Valores esses mergulhados e misturados à rotina, ao dia a dia. Uma só educação. A Palavra do Senhor é tão rica em ensinamentos e diretrizes para nós, pais.

Ah, se tem palmadinha? Sim. Tem sim, se necessária. E é muito diferente de espancamento. A própria palavra do Senhor em Provérbios 23,12 diz:

“Não deixe o jovem sem disciplina. Se você o corrigir com a Vara, ele não morrerá. Corrigindo o jovem com a vara, você o livrará da morada dos mortos”. Mais à frente em Provérbios 29,15 : “Vara e repreensão produzem sabedoria, mas o jovem entregue a si mesmo envergonha sua mãe”.

Obviamente, antes e depois da palmada, eu explico o porquê estou repreendendo dessa forma mais rigorosa. Temor está alinhado a respeito e amor. Quem impõe limites receberá esse amor, pois é um limite de educação e formação humana. Basta observar diariamente quais são os limites que o próprio Deus nos impõe e nos educa.

Somos a imagem e semelhança do nosso Criador. Aprendemos a reproduzir a sua educação. O nosso esforço diário em desejar criar seres humanos que levem valores, amor, fé, é o nosso primeiro ministério. É a primeira Igreja que nossos filhos conhecem. Devemos ter total senso de responsabilidade da nossa paternidade e maternidade.

Ao fim da minha jornada, eu quero apenas ter dado a maior herança a eles: Jesus Cristo. E Cristo está em tudo, inclusive na educação diária, nos limites, na disciplina, na excelência, na perfeição, na superação, na vitória, na derrota, no trabalho. Na família…

Eu recomendo os livros do Professor Felipe Aquino sobre criação de filhos, na perspectiva de criar filhos pela fé. Uma leitura, com certeza, muito proveitosa.

CARLENA 2018Carlena Upiati Souza Carneiro.

33 anos. Casada. Mãe de três meninos. Advogada, Pós-Graduada em Direito Trabalhista e Empresária. Serva do Senhor em construção. Devota da Virgem de Guadalupe.

 

Fotografia – Anderson Marques

Muitas Marias apresenta artigos originais sobre o cotidiano feminino. Saiba como enviar seu texto clicando aqui ou escreva para  [email protected] .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s