Você vale o quanto pesa?

Uma balança serve para medir nosso peso, certo? Mas você entende o que o número apresentado quer dizer? Quando faço essa pergunta no consultório as respostas são as mais diversas possíveis, desde “não”, “ué, meu peso”, “minha gordura” até “não tenho foco para emagrecer” ou “um cansaço, falta de energia”. Apesar das diferentes respostas, um dos maiores sentidos que as pessoas atribuem a seu peso é a quantidade de gordura que elas acham que possuem. Isso é claramente uma resposta a fobia de se ter gordura e ao padrão e a ditadura da beleza que não conseguem reconhecer a diversidade de corpos que existem e não somente um biotipo que é conhecido como único, saudável, certo e valioso. 

Minha intenção ao trazer esse assunto à luz de dados biológicos é, em um primeiro momento, ajudá-lo a conhecer mais seu corpo físico, do que ele é feito, advertidos que o corpo pode ser vistos por vários ângulos: corpo social, corpo das artes, corpo antropológico, corpo estético, e também existe um corpo inconsciente, onde o somático e o psíquico se relacionam assim como nossos desejos inconscientes se realizam e vários outros corpo. Mesmo que pareça uma proposta muito simples, é pensar que nem todos estudaram biologia ou para quem teve contato com essa disciplina, não se lembram dela. Percebo que tais informações não estão sendo exploradas pelos veículos de comunicação e pelos profissionais da área da saúde, e apenas apontam o peso ligado à saúde e a estética. Juntamente a essa ideia, esse conhecimento pode ajudar a desmistificar ideias relacionadas à gordura corporal, que é um tecido de reserva de energia e onde vários hormônios são produzidos, e que independente da sua quantidade, seu valor pessoal não se encontra nesse lugar. Pode ser um saber que pode trazer um pouco de conforto enquanto se atravessa a história com nosso corpo. Quanto mais nos conhecemos, mais nos entendemos e podemos então, se não nos aceitarmos por completo, temos uma convivência mais em paz conosco. 

Vamos então buscar as repostas na biologia e na física. Esta nos diz que popularmente o que chamamos de peso é na verdade massa, pois peso é uma força que atrai os corpos para a superfície da terra, e o peso varia com a gravidade que em cada planeta é uma. Massa é a quantidade de matéria que temos em nosso corpo e quando multiplicada pela gravidade temos o nosso peso. Ou seja, se estivermos em Marte teremos um peso diferente do que temos aqui na terra. Mas então do que é feita a massa do corpo, que cotidianamente chamamos de peso? 

Lembrando das aulas de anatomia, nosso corpo é formado por diversas células que ao se unirem formam os tecidos, e estes se organizam em órgãos que formam os sistemas e por fim o nosso organismo. De uma maneira bem simples podemos dizer que somos constituídos por diversos ossos, músculos, órgãos, sangue, cartilagem, gordura, água. E tudo isso pesa. Vejam que não é só gordura! Para termos ideia: o cérebro das mulheres pesa em média 1,2 kg, e nos homens 1,4kg, uma pessoa que pesa 75kg terá em média de cinco a seis litros de sangue, 9kg  de pele em adulto, etc. Há outros equipamentos que analisam nossa composição corporal como bioimpedância e DEXA. Importante pensar que nosso peso varia ao longo do dia e é influenciado por nossos hormônios, alimentos com mais ou menos sal, consumo de bebidas alcoólicas, se estamos constipado e hidratados, e principalmente pela nossa genética. Como cada indivíduo é único, cada um terá variações anatômicas e quantidades diferentes de alguns desses componentes, inclusive músculos e gordura.

Então, ao se pesar, primeiramente, lembre-se disso. Por meio de uma balança podemos apenas medir a nossa massa, ou seja, o peso corporal como um todo. Mesmo que não solucione as questões relativas e muito menos subjetivas a respeito do corpo e da relação com a comida, saber disso por ora pode trazer um pouco de tranquilidade e abreviar o julgamento sobre si.

REFERÊNCIAS:

 

https://brasilescola.uol.com.br/matematica/peso-x-massa.htm 

https://www.dgabc.com.br/Noticia/1338569/quantos-litros-de-sangue-existem-no-corpo-humano

IMG_0633

Daniella Ribeiro Saad é nutricionista e  especialista em transtornos alimentares pelo Hospital das Clínicas de São Paulo. 

 

 

 

Muitas Marias apresenta artigos originais sobre o cotidiano feminino. Saiba como enviar seu texto clicando aqui ou escreva para muitasmariasblog@gmail.com . 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s